Manutenção Preventiva de Coletes Equilibradores



A manutenção preventiva de coletes e reguladores é simples e eficiente, mas não substitui as revisões periódicas. Por serem equipamentos mais complexos, coletes e reguladores estão mais sujeitos a falha de funcionamento decorrente de manutenção inadequada. Portanto, é aconselhável dedicar uma atenção especial à manutenção destes itens, principalmente ao regulador, responsável pelo seu suprimento de ar durante o mergulho.


COLETE EQUILIBRADOR


Sempre entra um pouco de água no colete quando o desinflamos para iniciar o mergulho. Mas não se preocupe com isso durante sua diversão, porque a quantidade de água no interior do colete, raramente atrapalha. Preocupe-se com ela, isso sim, depois de encerrado o mergulho. Algumas providências devem ser tomadas para que a água salgada dentro do colete não comprometa sua durabilidade e seu bom funcionamento.

Primeiro, devemos esgotar toda a água que trouxemos do nosso último mergulho. Ao lavar o colete, encha 1/3 da câmara de ar com água doce, complete o restante com ar e chacoalhe, de um lado para outro, para cima, para baixo... Em seguida, esgote a água usando o power (botão deflador) e as válvulas de exaustão.

Uma forma de saber se toda a água salgada foi eliminada do colete é testar o sabor da água quando for inflar o colete novamente. Se você notar um gosto de água salobra, convém repetir a operação. Adotando mais algumas medidas simples como rotina, seu colete equilibrador estará sempre em ordem, pronto para o próximo mergulho.


As dicas são as seguintes :


Coloque para secar na sombra
Lubrifique o engate rápido da mangueira com graxa de silicone (por dentro e por fora), pois na parte interna da mangueira que conectamos no power, existe um o'ring que deve ser lubrificado.
Jogue um pouco de silicone spray no nylon para hidratá-lo e guarde-o parcialmente inflado em local arejado, isso evitará o colabamento das paredes internas do colete.
Ao contrário do que se imagina, o uso do colete em piscina de vez em quando não faz mal nenhum, pelo contrário. Um pouco de água clorada que entra no colete ajuda a acabar com os fungos da parte interna da bóia, mas lembre-se de lavá-lo em água doce corrente depois do uso na piscina.
Nunca faça uma entrada com o colete totalmente inflado, principalmente se usa lastro integrado e a embarcação possuir um costado alto, isso pode causar sérios danos a solda eletrônica do nylon ou ruptura da rosca da traquéia do colete equilibrador.


REGULADOR COMPLETO


O regulador é a peça do equipamento com a qual o mergulhador deve ter mais cuidado, mas isso não significa apenas fazer a manutenção preventiva. A atenção no manuseio desse item deve ser redobrada, seja na hora de passá-lo de um cilindro para o outro ou no momento de desmontá-lo após um mergulho.

Ao desmontar seu equipamento do cilindro, tenha o cuidado de soprar apenas o chapéu de bruxa e posicioná-lo no local correto, com a parte de maior diâmetro cobrindo a entrada de ar. Essa secagem deve ser feita de preferência, sem luvas, pois acabam retendo um pouco de água, que pode parar no filtro quando usamos o ar sob pressão do cilindro para secar a peça. Caso seu chapéu de bruxa seja do tipo que possui um berço para um o’ring, tenha cuidado no momento da secagem, pois o ar sob pressão, poderá ejetá-lo.

Caso você vá cair para um segundo mergulho e pretenda apenas trocar de cilindro, você pode remover o colete e o regulador juntos. Mas esteja atento ao posicioná-los novamente em um cilindro cheio. Preocupe-se, primeiro em fixar o regulador na torneira, deixando para posicionar o colete depois. De forma alguma use ar comprimido para secar o filtro do primeiro estágio diretamente. Isso provocaria penetração de umidade. E, ao checar a pressão do cilindro, nunca solte o console no ar, deixando que ele bata no chão, por exemplo. Isso poderia provocar o rompimento do eixo do manômetro.

Uma vez encerradas as atividades de mergulho, desloque os protetores de mangueira do regulador e lave apenas com água corrente. Ele pode ficar de molho por alguns minutos, evitando-se porém que o botão de purga do segundo estágio seja apertado acidentalmente. Caso isso ocorra, é quase certo que alguma água penetre no sistema do regulador, dando início a um processo corrosivo.

Quando você observar no filtro do seu primeiro estágio pontos verdes, brancos ou vermelhos, leve-o o mais rápido possível a uma oficina especializada. Isso é indicação de que houve alguma penetração de água no sistema.

Depois da lavagem, roscas, engates e o'rings devem ser lubrificados com graxa de silicone. Já as mangueiras podem ser lubrificadas com silicone spray. Finalmente, pendure o regulador em um local arejado, preferencialmente pelo primeiro estágio ou de alguma outra forma que distribua o peso por todas as mangueiras. Para isso, você pode utilizar daqueles cabides próprios para pendurar equipamentos de mergulho.

Colocar em prática todas essas dicas não elimina a necessidade de uma revisão anual em seu equipamento de mergulho autônomo. Para não deixar seu próximo mergulho ir por água abaixo graças a problemas que poderiam ser facilmente evitados, procure regularmente uma oficina especializada e faça a sua revisão, que deve ser feita respeitando as seguintes regras:

Se usar o equipamento diariamente, a revisão deve ser feita a cada três meses.
Se usar o equipamento uma vez por semana, a revisão deve ser feita a cada seis meses.
Se usar o equipamento uma vez por mês ou menos, a revisão deve ser feita pelo menos uma vez a cada ano.

Matéria publicada na revista Mergulho, ano V, número 65, página 56


Voltar




Untitled Document


UNIDADE I - SÃO BERNARDO DO CAMPO
Rua: Quinze de Agosto- n°77 - Centro - Cep 09721-110
Tel.: (11)4339-7390 | (11) 4930-1002
Whatsapp: (11) 95657-7390/ e-mail: turismosbc@scubalab.com.br
Segunda a Sexta das 8h às 18h e Sábado das 8h às 12h
UNIDADE II - RIO DE JANEIRO
Rua: Professora Isolina Sartore, 140
Recreio dos Bandeirantes - RJ - Cep:22795-493
Tel.: (21) 3988-3183 / e-mail: turismorj@scubalab.com.br
Segunda a Sexta das 8h às 18h e Sábado das 8h às 12h